>

Na última sessão do ano, realizada no dia 11 de dezembro, a Câmara Municipal de Mococa discutiu a aprovou com emendas a Lei Orçamentária Anual (LOA), documento responsável por fixar as despesas e receitas para o exercício de 2018 da Prefeitura. As emendas garantirão um recurso extra de R$1,5 milhão para a manutenção de projetos sociais, além de R$400mil destinados para obras de reformas e ampliações de escolas públicas.

Os autores das emendas, os vereadores Elisângela Maziero, Val Miranda, Bob, Eduardo Barison, Bim Taliberti e Daniel Girotto, fizeram uma ampla defesa sobre a importância de destinar os recursos para as áreas sociais e educacional. Essas propostas já haviam sido debatidas e acordadas em Audiência Pública convocada pela Comissão de Orçamento, Contabilidade e Finanças da Câmara.

Para a presidente da Comissão, a vereadora Val Miranda, essas emendas foram demandas da sociedade. “A sociedade civil veio até a gente e solicitou os repasses. Por isso, coube a nós, vereadores eleitos pelo povo, atender a essas reivindicações. Não podemos dar as costas a quem nos confiou o voto”, destacou.

Numa ação de responsabilidade com o erário público, a presidente da Câmara Municipal, vereadora Elisângela Maziero, abriu mãos de parte do recurso que seria destinado ao Poder Legislativo para o custeio em 2018 e destinou para as entidades sociais. “Estamos fazendo uma gestão com muita responsabilidade frente à Câmara, economizando cada centavo. Além de fazermos uma significativa devolução de recursos públicos aos cofres da Prefeitura, também reduzimos a estimativa de receita para o próximo ano. Nada melhor que colaborar com as entidades que realizam um excelente trabalho em Mococa”, disse Elisângela.

O recurso extra para a Educação no valor de R$400mil irá possibilitar importantes reformas e adequações. A Prefeitura havia previsto apenas R$11mil para essa finalidade para o próximo ano, um valor muito aquém das necessidades. No Social, o orçamento previsto originalmente era de R$130mil de recursos próprios. Com as emendas, ficarão disponíveis para investimentos em projetos sociais que atendam crianças e adolescentes  o montante de R$1.530.000,00 por ano, algo em torno de R$127mil mensal, além dos recursos disponíveis através de repasses estadual e federal.