>

A Câmara Municipal de Mococa realizou uma grande economia de recursos públicos em 2017, a maior nos últimos 10 anos. Com um orçamento inicial previsto em R$3,5 milhões, o Poder Legislativo cancelou R$350mil em dotação orçamentária e fez a devolução de R$762mil, depositado no final do ano passado. No total, a economia aos cofres públicos foi de R$1,11 milhão, representando cerca de 32% do orçamento.

De acordo com a presidente da Câmara Municipal, a vereadora Elisângela Maziero (PSD), o resultado foi possível graças a uma série de ações realizadas durante o ano, visando sempre a economicidade e a utilização criteriosa dos recursos públicos. “Em um momento delicado da economia, os agentes públicos devem zelar por cada centavo, sabendo onde e como investir. A Câmara de Mococa e a Mesa Diretora deram um grande exemplo que é possível desenvolver a função legislativa de forma eficiente e com economia”, destacou a presidente.

A Câmara realizou a devolução do dinheiro economizado aos cofres da Prefeitura no dia 22 de dezembro. Um ofício será encaminhado ao prefeito cobrando informações sobre a utilização desse recurso extra no final do ano. “Sabemos que os valores entram nos cofres públicos e são utilizados pela Prefeitura. Mas os agentes públicos devem prestar contas para a sociedade dos atos e por isso iremos solicitar informações sobre o que foi feito com os recursos devolvidos pela Câmara. Afinal, o valor é bem significativo e com responsabilidade seria possível fazer boas ações”, explicou a vereadora Elisângela.

Mais economia para 2018

Na discussão e aprovação da Lei Orçamentária Anual para 2018 a Câmara também deu um outro exemplo de espírito público e de responsabilidade com o dinheiro público. Houve o corte de R$300mil do orçamento do Poder Legislativo para esse ano através de uma emenda apresentada pelos vereadores Elisângela Maziero, Val Miranda, BOB, Bim Taliberti, Eduardo Barison e Daniel Girotto. O recurso foi realocado para atender entidades sociais do município.

“Ficamos muito felizes em possibilitar essa alteração do orçamento. Foi a primeira vez que a Câmara Municipal abre mão de recursos públicos do próprio orçamento. Esperamos que esse dinheiro economizado pela Câmara seja bem aplicado pela Prefeitura. Iremos exercer a nossa função de vereadores na fiscalização e na garantia do bom uso do dinheiro público”, disse Elisângela.