Fundação do Município

por mcc publicado 08/12/2015 14h30, última modificação 11/12/2015 10h46

O Fundador

Venerando Ribeiro da Silva, figura de destaque no movimento que culminou com a fundação do povoado de São Sebastião da Boa Vista, não teve ainda a sua postura histórica evidenciada na sua justa dimensão, por todos aqueles que se ocuparam com a interpretação do nosso passado histórico.

Mineiro de Baependi, nasceu em 1810

Casado com Mécia Honória Nogueira; foram seus filhos, Estébio Ribeiro da Silva, Otaziana Ribeiro da Silva, Estelino Ribeiro da Silva e Venerando Ribeiro da Silva.

Em 1836, residia em Caconde, onde foi juiz de paz. Entusiasmado pela qualidade das terras de cultura da região de Mococa, Venerando Ribeiro da Silva, em 1840, deixou Caconde e adquiriu a Fazenda da Prata, centralizando ali suas atividades de agricultor evoluído e de visão.

Político, figura proeminente do Partido Liberal, pensador sensível, inteligência viva e espírito irrequieto, orador fluente, fez em várias oportunidades brilhantes defesas nos júris da Vila de Nossa Senhora das Dores de Casa Branca.

Agricultor experimentado, foi durante muitos anos colaborador do "Jornal do Comércio" do Rio de janeiro, onde assinava uma coluna com o título "Um agricultor brasileiro a seu país", em que abordava com seguro conhecimento problemas da nossa agricultura e defendia teses consideradas naquela época extravagantes, tais como o espaçamento justo e necessário na cultura do café, a necessidade de curvas de níveis para o combate à erosão, evidenciando com isso claramente sua extraordinária personalidade de homem de visão.

Foi Venerando Ribeiro da Silva quem deu início a lavoura de café, no Município de Mococa, em 1845, lançando as bases econômicas da futura riqueza da região. O primeiro café, vendido em Mococa como gênero de negócio, foi produzido por Venerando na sua Fazenda da Prata.

Entretanto, onde se agiganta a figura de Venerando Ribeiro da Silva como homem

empreendedor, é no movimento realizado pelos primeiros entrantes da região no sentido de fundar o povoado. Venerando se destacou logo no início como coordenador dos trabalhos, que culminou com a fundação do povoado de São Sebastião da Boa Vista; assumindo os trabalhos de arroteamento, o planejamento urbanístico, o projeto da Capela, a supervisão das construções, as implantações agrícolas e a ação política.

Com a colaboração eficiente de José Gomes de Lima, Gabriel Garcia de Figueiredo, Diogo Garcia de Figueiredo e José Pereira dos Santos, Venerando conseguiu a criação do povoado como "Capela Curada" de São Sebastião da Boa Vista, através da lei nº.15 de 25 de fevereiro de 1841, assinada pelo Bispo D. Manuel Joaquim Gonçalves de Andrade. Esse ato do poder eclesiástico que, naquela época, era também poder de direito civil, empolgou os moradores da região.

Foi então, que Venerando, que tinha em José Pereira dos santos seu colaborador de todos os momentos, elaborou o plano urbanístico do povoado e desenvolveu o projeto da futura Capela. A pequena igreja teve sua construção iniciada em 04 de julho de 1846 e foi festivamente inaugurada no Natal do mesmo ano, com a celebração da primeira missa pelo Padre Manoel Machado de Assunção.

Venerando Ribeiro da Silva, foi o empreendedor dessa iniciativa, como nos revelam os termos da provisão de edificação da Capela de São Sebastião da Boa Vista, assinada pelo Bispo de São Paulo-D. Manuel Joaquim Gonçalves de Andrade-, quando diz:

"Fazemos saber que, atendendo ao que por sua petição nos representou Venerando Ribeiro da Silva, havemos por bem, pela presente conceder faculdade para que possam fundar e erigir e edificar uma capela em a povoação de São Sebastião".

Elaborando o plano da povoação, revelou-se um urbanista de talento. Uma cuidadosa observação das áreas e formas das atuais praças do "Rosário" e do "mercado" e a configuração das ruas que as limitam levam-nos a essa conclusão, pois, essas praças e ruas venceram o tempo: vem de 1846 até os dias de hoje, sem sofrer qualquer alteração e, sob o aspecto urbanístico, atendem as reais necessidades da movimentação urbana da Cidade. Esse núcleo embrionário do povoado de São Sebastião da Boa Vista foi, sem dúvida, a base do desenvolvimento ordenado de Mococa-uma cidade natural, mas, com aspecto urbanístico agradável, pelas áreas verdes que apresenta e pelo traçado regular de suas ruas.

Venerando Ribeiro da Silva, o entusiasta fundador de Mococa, deixando o comando do Partido Liberal, abandonou definitivamente a vida pública, desgostoso com a política reinante. Passando a viver em sua Fazenda da Prata, dedicando-se unicamente à agricultura, faleceu no dia 16 de abril de 1876, com 65 anos de idade. Marcou sua presença na história de Mococa como: o Fundador.

Fontes:

Rabiscos Históricos
Professor Carlos Alberto Paladini
Jornal "A Mococa" – 10/05/2003
Livro Assim Nasceu Mococa
Autor: Profº. Carlos Alberto Paladini
Ed. Alfa Omega-SP, 1995